terça-feira, 8 de maio de 2012

Parte 3

Na semana anterior

"Beep beep, beep beep". O telemovel tocou. Era uma mensagem do Bernardo.
- Planos para hoje?
- Nem por isso, penso que vou ficar por casa. Tenho de estudar, e não é que tenha muita pachorra...
- Que não seja por isso. Às 16h passo aí em casa ok?
- Sim, é na boa. A essa hora já devo estar despachada.

O telemóvel não voltou a vibrar. Revi a matéria, fiz uns resumos e daí a meia-hora enfiei-me no chuveiro.
Vesti uns calções curtinhos, uma camisola básica e um casaco. O cabelo ia igual a todos os outros dias, solto e sedoso. Quanto à maquilhagem tentei não exagerar, um pouco de sombra e de risco e nada mais.

Por volta das 16h10 a campainha tocou.

- Afinal vais levar-me onde ?
- Quando chegares vês.
- Humm ok, vou só ali acima buscar a mala. 2 minutos!

Quando desci as escadas, ele estava à minha espera no hall de entrada. Deu-me um beijo na bochecha e abriu a porta de casa para sairmos.
Entramos no carro dele e, por incrivel que pareça, não prestei atençao nenhuma ao caminho. Viemos a conversar durante o caminho tudo e por isso distraí-me.

- Chegámos ao destino.
- Uhuh, um hotel ? Não brinques com a minha cara..

Ele saiu do carro e, nada cavalheiro, pôs-se à frente dele à espera que eu saisse de lá.

- Então?! Estás a pensar ficar aí muito tempo oh tripeira?

Saí do carro, fechei a porta e dirigi-me a ele. Ele beijou-me.

- Não importa o tempo que passe, tu nunca vais ganhar juízo. - disse-lhe. - estás à espera que eu te dê o melhor sexo da tua vida não é ? Pareces um cão com o cio carago!

Voltou a beijar-me. E a beijar-me. E a beijar-me.
Entrámos no quarto do hotel. Começámos por despirmo-nos um ao outro.



- Nem penses que eu vou passar a noite contigo. Por agora fazemos o que tu quiseres, mas não contes comigo para passar aqui a noite. Não vou voltar a mentir ao meu pai para estar contigo. Da ultima vez já bastou.

Quando já estávamos completamente nus, aí sim, a verdadeira festa começou. Ele jugou-me para cima da cama e pôs-se em cima de mim. Dos lábios, a boca dele desceu até ao meu pescoço, aos meus seios. Enquanto isso, penetrava-me com toda a força que tinha. Os nossos gritos deviam de se ouvir pelo hotel inteiro mas naquele momento estavamos a cagar para isso tudo. Eramos só nós os dois e... a cama (que ainda se mantinha em pé).

Invertemos os papéis e fui eu que fui para cima dele. Em movimentos circulares e continuos ele continuou a penetrar-me da melhor maneira que sabia.

- Então é só isso que sabes fazer ? Pensei que hoje me ias levar ao céu mas parece que nem estou perto disso, ahahah
- Está calada, cabra!
- Chamaste-me o que?! Seu filho duma grande puta, eu adoro-te sabias ?!
- E eu amo-te.

Voltei a beijá-lo, ao mesmo tempo que o sentia dentro de mim. Acho que era isso que eu queria, senti-lo bem dentro de mim...




(...continua)




6 comentários:

carinapeixoto disse...

Sigo, e adorei o que estas a escrever (;

Juza disse...

obrigadoooo *-*
sigo de volta.

Diana Lopes disse...

obrigada pela visita ao meu pequeno canto, pela opinião e por seguires, sigo de volta, gostei de ler* beijinho :)

Juza disse...

Obrigado *.*

claire disse...

muito obrigada, querida (:
sigo de volta*

Diaana Santos disse...

muito bom! estou ansiosa pelo proximo